Decoração de Interiores


A magia das transparências – O uso de vidros na decoração
julho 30, 2008

Vidros agregam valor à decoração, revelam paisagens, integram ambientes e valorizam a iluminação natural, permitindo criar projetos arquitetônicos modernos e diferenciados

Com uma beleza que fascina, os vidros fazem parte do cotidiano das pessoas há milhares de anos. A transparência, que permite o aproveitamento da iluminação natural, é a principal característica desse material, capaz de proporcionar leveza e amplitude ao ambiente, equilibrar formas e integrar espaços, difundindo a luz que vem de fora no interior e criando espectros e contornos que completam a decoração.

De simples elementos decorativos, passando por funções de revestimento e acabamento, àquelas mais estruturais, o uso do vidro torna-se essencial na arquitetura, construção e design de interiores, por agregar valores de contemporaneidade aos projetos, como praticidade, funcionalidade e visual moderno.

Para a arquiteta Marina Maciel, o vidro é mais que um acessório. É uma necessidade. “Em um projeto arquitetônico, é preciso buscar a combinação de volumes e o material é essencial para trabalhar todas as formas”, explica. A combinação perfeita com outros materiais é uma das vantagens de se usarem as diversas tipificações do vidro na composição de ambientes, concorda o arquiteto Carlos de Abreu, da Vitra Revestimentos. “Graças à leveza e à facilidade de agregar-se a outros tipos de materiais, como madeira, aço, alvenaria, entre outros, o vidro é a garantia de beleza na execução dos projetos”, completa o gerente-geral da Bend Glass, Luiz Hamilton da Silva.

Os projetos arquitetônicos atuais, observa Luiz Hamilton, estão cada vez mais exigentes quanto a uma série de aspectos, como segurança, conforto termo-acústico, privacidade e filtragem de raios ultravioleta para não danificarem móveis e objetos dispostos nos ambientes. “E a tecnologia tem possibilitado à indústria do vidro acompanhar essa demanda de mercado”, afirma.

Fonte: Lugar Certo